domingo, 11 de maio de 2014

ADAUTO LINO DO NASCIMENTO<>O VEREADOR QUE AMAVA O SERTÃO

Adauto lutou por melhorias na ciade e no sertão
 <><> Nos anos 40, uma criança olhava com muita atenção e admirava seu pai, o agricultor Francisco Lino do nascimento trabalhando à terra, feliz, no abençoado chão da região de Jatobá. Como todo nordestino, seu Francisco olhava para o céu, esperando sinal de chuva para uma boa colheita. Esta criança era Adauto que não demorou muito e passou a ajudar seu pai no cultivo da terra. A família pedia chuva com abundância e as orações sempre aconteciam, toda tardinha, naquela casa sertaneja. Dona Glicéria achava muito interessante o interesse daquela criança em ajudar seu pai mas queria(como toda mãe quer) que o menino frequentasse os bancos da escola. Com o passar dos anos, Adauto, mesmo amando com intensidade o sertão, tomou a iniciativa de vir morar na cidade.Com lágrimas, deixou seu coração no  amado Jatobá mas precisava trabalhar para ajudar os pais e os irmãos. Sempre dizia que o sertão é bonito no inverno e até mesmo no verão.  Naquele momento, a terra dos monólitos crescia a passos largos. Precisava encontrar trabalho e isso não demorou a acontecer, pois cruzou em seu caminho, aquele que se tornaria um dos seus maiores amigos, o comerciante Zeque Roque. Trazendo do sertão a honestidade, a vontade de trabalhar e o respeito com as pessoas, logo destacou-se como vendedor.                              
                                                         Além de se tornar um vendedor muito querido, era desportista e torcia fervorosamente pelo Quixadá futebol Clube. Foi dirigente e torcedor do Jatobá Esporte Clube que representava seu amado povoado. Bastante popular, foi convidado para integrar partidos políticos e com apoio da família, dos amigos e claro, do querido comerciante Zeque Roque, foi eleito vereador. Esteve na Câmara Municipal de Quixadá por cinco períodos legislativos, de 1966 a 1968. Ganhou a confiança dos administradores da terra dos monólitos, ocupando diversas secretarias nas administração de diversos prefeitos. Com sangue verdadeiramente nordestino, sempre voltava a seu Jatobá para matar a saudade de sua gente querida. Vale destacar que sua grande luta foi sempre a busca de melhoras na vida das comunidades  sertanejas. Depois de muitos anos de dedicação a sua querida Quixadá. Adauto partiu para outras missões em 31.03.1988 deixando triste os amigos e seus filhos josé Veimar(vereador), Wanderley, Meyre Socorro e Marília. Recebeu muitas homenagens em vida dos quixadaenses que o reconheciam como um grande filho. Todas as vezes que era homenageado, fazia questão de afirmar: "Sou um cidadão sertanejo!" -
Adauto(e) e seu amigo Aziz(d)

Adauto(e), Adolfo(c) e Maria Guedes(d) na cãmara-anos 80

Wanderley: Meu pai amava Quixadá

Wanderley segue os passos do pai